Contra Aumento abusivo
Governo não cede à pressão e passagem do metrô vai a R$ 3,40 nesta sexta-feira
Decisão teria sido anunciada pelo ministro da Secretaria de Governo em reunião com o deputado federal Weliton Prado
Foto: João Godinho - 08.10.2015
Weliton Prado aciona a justiça Secretaria de Governo não confirmar suspensão do aumento da passagem
10/05/2018 20h22

PUBLICADO EM 10/05/18 - 20h57 - Letícia Fontes

Mesmo após inúmeros requerimentos, apelos e tentativas de adiar ou até mesmo escalonar o reajuste da passagem do metrô de Belo Horizonte, o governo federal decidiu ignorar o desgaste político e bancar o aumento de 88,8% na tarifa – antecipado com exclusividade por O TEMPO no último domingo.

A partir desta sexta-feira (11), a viagem passa de R$ 1,80 para R$ 3,40. A decisão teria sido anunciada pelo ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, em reunião com o deputado federal Weliton Prado (Pros) na noite desta quinta-feira (10). “É um verdadeiro absurdo. A Presidência da República decidiu, mais uma vez, contra o povo”, afirmou Prado. A sentença do ministro foi confirmada pelo deputado federal Fábio Ramalho (MDB), vice-presidente da Câmara. A assessoria da Secretaria de Governo não soube confirmar se a reunião ocorreu. O encontro não estava previsto na agenda oficial de Marun. 

Tanto Prado quanto Ramalho afirmaram que vão à Justiça e ao Tribunal de Contas da União (TCU) nesta sexta-feira (11) para tentar barrar o aumento. Na noite de ontem, os dois, junto com outros deputados federais mineiros, se reuniram com o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, que se disse favorável ao escalonamento do reajuste durante quatro anos. Ele teria se comprometido a conversar com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, para tomar uma decisão, mas o encontro entre os dois ainda não ocorreu.

Parlamentares e o Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG) já entraram com representações nos Ministérios Públicos Estadual (MPMG) e Federal (MPF). Em nota, a CBTU justificou o aumento dizendo que os 88,8% correspondem à correção inflacionaria da tarifa, que não é reajustada desde dezembro de 2006. 

Na manhã desta quinta-feira (10), em reunião com o Sindimetro, o promotor Paulo de Tarso Morais Filho, do MPMG, considerou elevado o aumento de 88,8%. De acordo com ele, quem deve arcar com esse custo é o poder público, já que foi a própria União que deixou de reajustou o preço da tarifa por quase 12 anos. 

Segundo o presidente do Sindimetro, Romeu José Machado Neto, o promotor prometeu dar encaminhamento jurídico às denúncias recebidas. “A informação que tivemos é que a CBTU foi notificada ontem para justificar o aumento da tarifa e teria até hoje para dar essa resposta. O promotor afirmou que considera essa aumento desproporcional”, afirmou. 

O Tempo Online
Comentários

Carregando notícias...
Deputado WELITON PRADO - Todos os direitos reservados © 2016